Brasília
Pontos: 702,081
Nível 29.4
Última atividade:
Selos e prêmios
Comentários: 6375
Reputação: 58,944
Insígnia atual conquistada

Imperatriz
Outras insígnias conquistadas
Especialista em navegação de Internet Mestra dos mares Águia 1 - Dominadora do ar Mestra dos caminhos Aquila Real - Mestra do fogo e do ar Maga dos elementos Primeira ministra Príncesa monarca Rainha
Sobre mim
Servidora pública de carreira, da Administração Federal, militante da área de saúde do trabalhador e relações sociais de gênero. Formação em políticas sociais. Carioca e residente
Recados e mensagens
Beth Muniz
publicidade
Bethcomentou em um link
Compartilhado
Décio compartilhou!
Bethcomentou em um link
Compartilhado
DécioBeth compartilharam!
Como sentou em cima, por 18 meses, do voto sobre o financiamento de empresas a campanhas eleitorais, até que o Eduardo Cunha esgotasse a possiblidade de reestabelecê-lo.

(Como se sabe, segundo a Fel-lha, o candidato a Presidente do Rola Bosta participou de um histórico café da manhã na casa do Eduardo Cunha, então presidente da Câmara e herói da Casa Grande, na imaculada companhia do Pauzinho do Dantas para traçar a estratégia do impeachment da Presidenta na Câmara. Só depois disso é que o Procurador Janot - depois de derrubada a Dilma - só depois disso é que o Janot - que acusou Gilmar de sofrer de disenteria - verbal - tratou de mandar prender o Cunha. Cunha tinha perdido a serventia para a Casa Grande. Não esquecer que o Ministro Gilmar sentou em cima do financiamento das campanhas DEPOIS de já estar irreversivelmente condenado no Supremo.)

O Ministro Gilmar Mendes pode sentar em cima da relatoria do Ministro Benjamin até que dois novos juízes - juízes? - escolhidos pelo réu, o MT, tenham assento no TSE.

Herman Benjamin é autor de frase histórica:

- “... EU NÃO ACEITO É QUE O ARGUMENTO PODEROSO DOS FATOS SEJA DERROTADO POR FUNDAMENTOS QUE NÃO TÊM SUSTENTAÇÃO, EXCETO NO JOGO DO PODER. PORQUE ISSO DESCARACTERIZA O ESTADO DE DIREITO”

Pequeno problema, ministro Benjamin: depois de rasgar a Constituição para depor a Dilma, o Estado de Direito foi irremediavelmente descaraterizado.

Até que a canoa vire e se construa o paredón do Conversa Afiada.

PHA
Bethcomentou em um link
Compartilhado
DécioBeth compartilharam!
O projeto de terceirização radical que Michel Temer quer sancionar foi aprovado por um Senado em que 29 integrantes já morreram; isso porque a Câmara decidiu retomar um projeto que havia sido aprovado em 1988 no Senado, mas estava engavetado; na lista, constam nomes como Romeu Tuma, Pedro Piva, Antônio Carlos Magalhães, Artur da Távola e Humberto Lucena; Temer decidiu aprovar a terceirização radical, que mata a CLT e poderá deixar 75% dos trabalhadores brasileiros sem férias e décimo-terceiro, após ser pressionado por banqueiros e empresários; Senado pretendia votar uma lei mais branda, mas Temer decidiu obedecer às ordens do capital, porque sabe que não será capaz de entregar a prometida reforma da Previdência; confira a lista completa dos mortos que Temer resgatou para matar seus direitos trabalhistas...
Bethatualizou o status do tempo
Compartilhado
Décio compartilhou!
Sol forte
Brasília
De acordo com Beth
Bethcomentou em um link
Compartilhado
DécioBeth compartilharam!
"É uma conquista jurídica do MPT", diz o procurador Tiago Muniz Cavalcanti, coordenador nacional de Erradicação do Trabalho Escravo do Ministério Público. "A divulgação da lista é um importante mecanismo de combate à escravidão contemporânea com reconhecimento pela Organizações das Nações Unidas (ONU) e Organização Internacional do Trabalho (OIT), como exemplo para outros países", acrescentou, lembrando que o teor do cadastro ainda será analisado.
publicidade
Bethcomentou em um link
Compartilhado
DécioBeth compartilharam!
Como sentou em cima, por 18 meses, do voto sobre o financiamento de empresas a campanhas eleitorais, até que o Eduardo Cunha esgotasse a possiblidade de reestabelecê-lo.

(Como se sabe, segundo a Fel-lha, o candidato a Presidente do Rola Bosta participou de um histórico café da manhã na casa do Eduardo Cunha, então presidente da Câmara e herói da Casa Grande, na imaculada companhia do Pauzinho do Dantas para traçar a estratégia do impeachment da Presidenta na Câmara. Só depois disso é que o Procurador Janot - depois de derrubada a Dilma - só depois disso é que o Janot - que acusou Gilmar de sofrer de disenteria - verbal - tratou de mandar prender o Cunha. Cunha tinha perdido a serventia para a Casa Grande. Não esquecer que o Ministro Gilmar sentou em cima do financiamento das campanhas DEPOIS de já estar irreversivelmente condenado no Supremo.)

O Ministro Gilmar Mendes pode sentar em cima da relatoria do Ministro Benjamin até que dois novos juízes - juízes? - escolhidos pelo réu, o MT, tenham assento no TSE.

Herman Benjamin é autor de frase histórica:

- “... EU NÃO ACEITO É QUE O ARGUMENTO PODEROSO DOS FATOS SEJA DERROTADO POR FUNDAMENTOS QUE NÃO TÊM SUSTENTAÇÃO, EXCETO NO JOGO DO PODER. PORQUE ISSO DESCARACTERIZA O ESTADO DE DIREITO”

Pequeno problema, ministro Benjamin: depois de rasgar a Constituição para depor a Dilma, o Estado de Direito foi irremediavelmente descaraterizado.

Até que a canoa vire e se construa o paredón do Conversa Afiada.

PHA
Bethcomentou em um link
Compartilhado
DécioBeth compartilharam!
O projeto de terceirização radical que Michel Temer quer sancionar foi aprovado por um Senado em que 29 integrantes já morreram; isso porque a Câmara decidiu retomar um projeto que havia sido aprovado em 1988 no Senado, mas estava engavetado; na lista, constam nomes como Romeu Tuma, Pedro Piva, Antônio Carlos Magalhães, Artur da Távola e Humberto Lucena; Temer decidiu aprovar a terceirização radical, que mata a CLT e poderá deixar 75% dos trabalhadores brasileiros sem férias e décimo-terceiro, após ser pressionado por banqueiros e empresários; Senado pretendia votar uma lei mais branda, mas Temer decidiu obedecer às ordens do capital, porque sabe que não será capaz de entregar a prometida reforma da Previdência; confira a lista completa dos mortos que Temer resgatou para matar seus direitos trabalhistas...
Bethcomentou em um link
Compartilhado
DécioBeth compartilharam!
"É uma conquista jurídica do MPT", diz o procurador Tiago Muniz Cavalcanti, coordenador nacional de Erradicação do Trabalho Escravo do Ministério Público. "A divulgação da lista é um importante mecanismo de combate à escravidão contemporânea com reconhecimento pela Organizações das Nações Unidas (ONU) e Organização Internacional do Trabalho (OIT), como exemplo para outros países", acrescentou, lembrando que o teor do cadastro ainda será analisado.

Mais atualizações

1 2 3 4 Próxima »
Aplicativos instalados