Comunidades, fotos, notícias,
vídeos e muito mais
Buscar
Mais Mais »
#golpistas
Hashtag criada por Clovis Sena
Popularidade 114 pontos
Publicações nesta hashtag
Clovis Sena
aqui só eh crime se for para atingir tucano, se for pra ferrar o LULA ou o PT ai tá liberado, pode vazar a vontade
Maria de Lourdes "Emedelu"
Olá Beth! saudades!
Pois é! pois é! Lula ou Lula paz e amor! condenado ou não sempre será LULA! Aquele que matou a fome de muita gente!
INTERESSANTE...
... O SEU COMENTÁRIO!
Beth Muniz Elite
INTERESSANTE...
... O SEU COMENTÁRIO!
Certas pessoas deveriam pensar melhor antes de abrir a boca, a ideia de atacar para disfarçar a própria culpa, às vezes sai pela culatra.
Janio Ferreira
Certas pessoas deveriam pensar melhor antes de abrir a boca, a ideia de atacar para disfarçar a própria culpa, às vezes sai pela culatra.
Beth Muniz Elite
Segundo ele, foi armada uma derrota artificial de seu parecer, com a troca de seus membros, e criticou a distribuição de emendas parlamentares e cargos para conseguir votos por parte do governo.

"A derrota que se afigura aqui foi montada artificialmente. Uma derrota aqui não vai ser do parecer, vai ser do povo brasileiro, que quer uma política limpa, honesta, que repudia que deputados eleitos livremente pelo voto se submetam a manobras por emendas parlamentares"
Beth Muniz Elite
“Se alguém pensa que com essa sentença me tiraram do jogo, pode saber que eu estou no jogo. E agora quero dizer ao meu partido, que até agora eu não tinha reivindicado, mas a partir de agora eu vou me reivindicar como postulante à candidatura”, advertiu.
Beth Muniz Elite
“Quem acha que é o fim do Lula vai quebrar a cara. Só quem tem o direito de decretar meu fim é o povo brasileiro”, afirmou Lula, enfatizando que a sentença de Moro era prevista, pois “já estavam com o processo pronto”, ou seja, com a concepção da condenação pronta. “O que aconteceu ontem eu já previa desde o dia 18 de outubro de 2016”, acrescentou, citando um artigo que publicou na Folha de S. Paulo, no ano passado.
Beth Muniz Elite
A FAVOR DA REFORMA Aécio Neves (PSDB-MG) Airton Sandoval (PMDB-SP) Ana Amélia (PP-RS) Antonio Anastasia (PSDB-MG) Armando Monteiro (PTB-PE) Ataídes Oliveira (PSDB-TO) Benedito de Lira (PP-AL) Cássio Cunha Lima (PSDB-PB) Cidinho Santos (PR-MT) Ciro Nogueira (PP-PI) Cristovam Buarque (PPS-DF) Dalirio Beber (PSDB-SC) Dário Berger (PMDB-SC) Davi Alcolumbre (DEM-AP) Edison Lobão (PMDB-MA) Eduardo Lopes (PRB-RJ) Elmano Férrer (PMDB-PI) Fernando Bezerra Coelho (PSB-PE) Flexa Ribeiro (PSDB-PA) Garibaldi Alves (PMDB-RN) Gladson Cameli (PP-AC) Ivo Cassol (PP-RO) Jader Barbalho (PMDB-PA) João Alberto Souza (PMDB-MA) José Agripino Maia (DEM-RN) José Maranhão (PMDB-PB) José Medeiros (PSD-MT) José Serra (PSDB-SP) Lasier Martins (PSD-RS) Magno Malta (PR-ES) Marta Suplicy (PMDB-SP) Omar Aziz (PSD-AM) Paulo Bauer (PSDB-SC) Pedro Chaves (PSC-MS) Raimundo Lira (PMDB-PB) Ricardo Ferraço (PSDB-ES) Roberto Muniz (PP-BA) Roberto Rocha (PSB-MA) Romero Jucá (PMDB-RR) Ronaldo Caiado (DEM-GO) Rose de Freitas (PMDB-ES) Sérgio Petecão (PSD-AC) Simone Tebet (PMDB-MS) Tasso Jereissati (PSDB-CE) Valdir Raupp (PMDB-RO) Vicentinho Alves (PR-TO) Waldemir Moka (PMDB-MS) Wellington Fagundes (PR-MT) Wilder Morais (PP-GO) Zeze Perrella (PMDB-MG)TOTAL: 50...
Beth Muniz Elite
“Certas desgraças que se abatem sobre os povos são tão avassaladoras e cruéis que parecem ser manifestação da Ira Divina. Mas, dentre essas desgraças, muito raras são aquelas que não têm suas garras firmemente cravadas no passado. Como uma doença insidiosa cujos sintomas ainda não se fizeram sentir, vão tomando conta do organismo, até o dia terrível em que se manifestam. Deus nada tem com essas desgraças que os homens atraem sobre si próprios, longamente cevadas pela cupidez, pela ambição e pela soberba. Não vos enganais: as grandes desgraças vêm de longe !”
Décio Adams, IWA Elite
Que cometamos um erro por engano, falta de alguma informação, é aceitável e vá lá. Agora repetir deslavadas mentiras uma após a outra, dezenas de vezes ao dia, é demais. Não sei como o cérebro ainda não apodreceu.
Décio,

É que esse comentarista segue a boiada que é tocada pelo ódio dos tucanalhas, para esconder os descalabros econômicos e social.

Consistência eles não tem. Provas, também não!

Só tem babaquice na cabeça, em lugar do cérebro. Cérebro esse, corrompido pelo conservadorismo, preconceito, machismo, fundamentalismo e outros Ismos!

Beth Muniz Elite
Décio,

É que esse comentarista segue a boiada que é tocada pelo ódio dos tucanalhas, para esconder os descalabros econômicos e social.

Consistência eles não tem. Provas, também não!

Só tem babaquice na cabeça, em lugar do cérebro. Cérebro esse, corrompido pelo conservadorismo, preconceito, machismo, fundamentalismo e outros Ismos!

O engraçado é que tem um "comentarista " aqui que afirma que Lula foi acusado 234 vezes de ter praticado crime. Mas em nenhum lugar ele se atreve a afirmar que foi provada a culpa. Eu diria a essa pessoa que, acusar é algo fácil de fazer. Basta inventar uma mentira e propalar aos quatro ventos. Provar no entanto, o que está sendo dito, é coisa bem diferente
Décio Adams, IWA Elite
O engraçado é que tem um "comentarista " aqui que afirma que Lula foi acusado 234 vezes de ter praticado crime. Mas em nenhum lugar ele se atreve a afirmar que foi provada a culpa. Eu diria a essa pessoa que, acusar é algo fácil de fazer. Basta inventar uma mentira e propalar aos quatro ventos. Provar no entanto, o que está sendo dito, é coisa bem diferente
A reportagem levada ao ar hoje em telejornal da TV Globo repete as mesmas ilações e falsas denúncias que vêm sendo feitas contra Lula ao longo dos últimos dois anos, agora a partir de textos escritos em idioma inglês. Mas uma mentira será sempre uma mentira, seja em português ou em inglês. É o que está sendo demonstrado nas audiências do juiz Sergio Moro, que já ouviu as 27 testemunhas de acusação elencadas pelos procuradores da Lava Jato, sem que nenhuma delas confirmasse as falsas denúncias da Força Tarefa contra Lula.A Lava Jato não conseguiu sustentar seu claro objetivo político e agora apela a uma estranha parceria com procuradores de um país estrangeiro, na tentativa desesperada de obter alguma credibilidade. Mas voltará a fracassar, já que nem no Brasil nem em qualquer país do mundo existem provas, testemunhos ou sequer indícios de envolvimento do ex-presidente Lula em desvio de dinheiro, pois ele sempre agiu dentro da lei.
Décio Adams, IWA Elite
É algo de arrepiar saber que tentam usar maquinações, com auxílio da máquina midiático/jurídica de um país estrangeiro, na únida intenção de atingir um cidadão brasileiro, que só fez trabalhar pelo bem dos seus concidadãos.
Eu me pergunto se tais figuras não tem um único, mas um único pingo de vergonha na cara mesmo?! Só sendo completa e totalmente descarados para fazer uso de tais subterfúgios.
A reportagem levada ao ar hoje em telejornal da TV Globo repete as mesmas ilações e falsas denúncias que vêm sendo feitas contra Lula ao longo dos últimos dois anos, agora a partir de textos escritos em idioma inglês. Mas uma mentira será sempre uma mentira, seja em português ou em inglês. É o que está sendo demonstrado nas audiências do juiz Sergio Moro, que já ouviu as 27 testemunhas de acusação elencadas pelos procuradores da Lava Jato, sem que nenhuma delas confirmasse as falsas denúncias da Força Tarefa contra Lula.A Lava Jato não conseguiu sustentar seu claro objetivo político e agora apela a uma estranha parceria com procuradores de um país estrangeiro, na tentativa desesperada de obter alguma credibilidade. Mas voltará a fracassar, já que nem no Brasil nem em qualquer país do mundo existem provas, testemunhos ou sequer indícios de envolvimento do ex-presidente Lula em desvio de dinheiro, pois ele sempre agiu dentro da lei.
Beth Muniz Elite

FELIZ NATAL!!!!
Muita Paz, Saúde e Trabalho.
Tudo de Bom.
Lava Jato: 27 testemunhas desmentem os procuradores

"Uma mentira será sempre uma mentira"
Maria de Lourdes "Emedelu"
Lava Jato: 27 testemunhas desmentem os procuradores

"Uma mentira será sempre uma mentira"
Maria de Lourdes "Emedelu"
A Lava Jato não conseguiu sustentar seu claro objetivo político e agora apela a uma estranha parceria com procuradores de um país estrangeiro, na tentativa desesperada de obter alguma credibilidade. Mas voltará a fracassar, já que nem no Brasil nem em qualquer país do mundo existem provas, testemunhos ou sequer indícios de envolvimento do ex-presidente Lula em desvio de dinheiro, pois ele sempre agiu dentro da lei.
Beth Muniz Elite
A reportagem levada ao ar hoje em telejornal da TV Globo repete as mesmas ilações e falsas denúncias que vêm sendo feitas contra Lula ao longo dos últimos dois anos, agora a partir de textos escritos em idioma inglês. Mas uma mentira será sempre uma mentira, seja em português ou em inglês. É o que está sendo demonstrado nas audiências do juiz Sergio Moro, que já ouviu as 27 testemunhas de acusação elencadas pelos procuradores da Lava Jato, sem que nenhuma delas confirmasse as falsas denúncias da Força Tarefa contra Lula.A Lava Jato não conseguiu sustentar seu claro objetivo político e agora apela a uma estranha parceria com procuradores de um país estrangeiro, na tentativa desesperada de obter alguma credibilidade. Mas voltará a fracassar, já que nem no Brasil nem em qualquer país do mundo existem provas, testemunhos ou sequer indícios de envolvimento do ex-presidente Lula em desvio de dinheiro, pois ele sempre agiu dentro da lei.
Beth Muniz Elite
Os advogados da campanha de Dilma Rousseff pediram ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral), na segunda-feira (19), que investigue as doações da Andrade Gutierrez para a candidatura do senador Aécio Neves (PSDB-MG) à presidência em 2014. A petição se baseia no depoimento que Otávio de Azevedo, ex-presidente da empreiteira, prestou ao TSE em novembro, no âmbito de ação movida pelo PSDB que julgará a cassação da chapa Dilma-Michel Temer por supostas irregularidades na campanha. Nesse depoimento, Azevedo disse que, diferentemente do que havia informado, verificou seus recibos e viu que doou para a campanha de Aécio R$ 19 milhões, e não apenas R$ 12,6 milhões, como estava registrado na prestação de contas dos tucanos consultada por ele no site do TSE. Foi também nesse depoimento que o executivo mudou sua versão e afirmou que, diferentemente do que havia dito antes, não repassou propina para a chapa Dilma-Temer na eleição de 2014 (...) Na petição ao TSE, o PT classificou a retificação como um "fato de extrema gravidade que pode, em tese, determinar que as contas de Aécio sejam julgadas irregulares", caso fique comprovado que o PSDB não declarou tudo o que recebeu da empreiteira....
Beth Muniz Elite
Os advogados da campanha de Dilma Rousseff pediram ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral), na segunda-feira (19), que investigue as doações da Andrade Gutierrez para a candidatura do senador Aécio Neves (PSDB-MG) à presidência em 2014. A petição se baseia no depoimento que Otávio de Azevedo, ex-presidente da empreiteira, prestou ao TSE em novembro, no âmbito de ação movida pelo PSDB que julgará a cassação da chapa Dilma-Michel Temer por supostas irregularidades na campanha. Nesse depoimento, Azevedo disse que, diferentemente do que havia informado, verificou seus recibos e viu que doou para a campanha de Aécio R$ 19 milhões, e não apenas R$ 12,6 milhões, como estava registrado na prestação de contas dos tucanos consultada por ele no site do TSE. Foi também nesse depoimento que o executivo mudou sua versão e afirmou que, diferentemente do que havia dito antes, não repassou propina para a chapa Dilma-Temer na eleição de 2014 (...) Na petição ao TSE, o PT classificou a retificação como um "fato de extrema gravidade que pode, em tese, determinar que as contas de Aécio sejam julgadas irregulares", caso fique comprovado que o PSDB não declarou tudo o que recebeu da empreiteira.
Beth Muniz Elite
“Ele não tem o culto do lar, como ocorre nos países de padrão de vida elevado. Para nosso proletariado, para o geral de nosso povo, o lar é um acampamento - sem conforto e sem doçura. O lar não pode prendê-lo e ele procurará matar as suas longas horas de inação nas ruas. A rua provoca com frequência o desabrochar de vícios latentes e não vamos insistir nos perigos que ela representa para o trabalhador inativo, inculto, presa fácil dos instintos subalternos que sempre dormem na alma humana, mas que o trabalho jamais desperta!”
(Luiz Werneck Vianna, pág. 80).
Beth Muniz Elite
“Ele não tem o culto do lar, como ocorre nos países de padrão de vida elevado. Para nosso proletariado, para o geral de nosso povo, o lar é um acampamento - sem conforto e sem doçura. O lar não pode prendê-lo e ele procurará matar as suas longas horas de inação nas ruas. A rua provoca com frequência o desabrochar de vícios latentes e não vamos insistir nos perigos que ela representa para o trabalhador inativo, inculto, presa fácil dos instintos subalternos que sempre dormem na alma humana, mas que o trabalho jamais desperta!”
(Luiz Werneck Vianna, pág. 80).
Beth Muniz Elite
A Unafisco, entidade que representa os fiscais, quer valer-se do argumento de que as medidas provisórias se converteram em leis e continuam vigentes, trazendo ganhos à empresa

A Unafisco, entidade que representa os auditores fiscais da Receita Federal, planeja entrar na Justiça para barrar a vigência das medidas provisórias citadas na delação do lobista da Odebrecht em Brasília, Cláudio Melo Filho. Em sua proposta de delação premiada, Melo conta que negociou pagamentos a parlamentares, como o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e os senadores Romero Jucá (PMDB-RR), Renan Calheiros (PMDB-AL) e Eunício Oliveira (PMDB-CE), em troca de benefícios para a Odebrecht nas Medidas Provisórias 255/2005, 677/2015, 449/2008, 563/2012, 579/2012, 613/2013, 627/2013, 651/2014. O levantamento da Folha de S.Paulo publicado nesta terça-feira (20) aponta que em apenas duas medidas provisórias a Odebrecht se beneficiou em R$ 8,4 bilhões, tendo pago R$ 16,9 milhões a parlamentares em troca dos benefícios. Já um cálculo do UOL aponta benefícios de R$ 140 bilhões em apenas quatro MPs que foram convertidas em leis.
Beth Muniz Elite
A Unafisco, entidade que representa os fiscais, quer valer-se do argumento de que as medidas provisórias se converteram em leis e continuam vigentes, trazendo ganhos à empresa

A Unafisco, entidade que representa os auditores fiscais da Receita Federal, planeja entrar na Justiça para barrar a vigência das medidas provisórias citadas na delação do lobista da Odebrecht em Brasília, Cláudio Melo Filho. Em sua proposta de delação premiada, Melo conta que negociou pagamentos a parlamentares, como o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e os senadores Romero Jucá (PMDB-RR), Renan Calheiros (PMDB-AL) e Eunício Oliveira (PMDB-CE), em troca de benefícios para a Odebrecht nas Medidas Provisórias 255/2005, 677/2015, 449/2008, 563/2012, 579/2012, 613/2013, 627/2013, 651/2014. O levantamento da Folha de S.Paulo publicado nesta terça-feira (20) aponta que em apenas duas medidas provisórias a Odebrecht se beneficiou em R$ 8,4 bilhões, tendo pago R$ 16,9 milhões a parlamentares em troca dos benefícios. Já um cálculo do UOL aponta benefícios de R$ 140 bilhões em apenas quatro MPs que foram convertidas em leis.
Maria de Lourdes "Emedelu"
Sinceramente, nunca ouvi falar na minha vida toda, em tanta maracutaia. Só em filmes e novelas. E o que é pior, pra o mundo inteiro ver.
É a encenação da triste comédia humana...
Décio Adams, IWA Elite
Até parece a "humana" comédia de Dante Alighieri, com algumas peculiaridades próprias, criadas pelos nossos ilustres membros do congresso e do judiciário. Uma "santa lambança".
É a encenação da triste comédia humana...
Beth Muniz Elite
É a encenação da triste comédia humana...
Essa nossa vida de espectador não está sendo fácil. As cenas são pra todos os gostos e com um detalhe: diversificadas. E bem não acaba uma cena e já tem outra engatilhada.
Maria de Lourdes "Emedelu"
Essa nossa vida de espectador não está sendo fácil. As cenas são pra todos os gostos e com um detalhe: diversificadas. E bem não acaba uma cena e já tem outra engatilhada.
Vamos armar um Ringue de MMA no meio do plenário, depois deixa os dois se soquearem à vontade. Vamos ver quem nocaauteia quem.
Beth Muniz Elite
Vamos armar um Ringue de MMA no meio do plenário, depois deixa os dois se soquearem à vontade. Vamos ver quem nocaauteia quem.
Décio Adams, IWA Elite
Vamos armar um Ringue de MMA no meio do plenário, depois deixa os dois se soquearem à vontade. Vamos ver quem nocaauteia quem.
Vivemos em pleno século sob os comandos, ou áuspice ou mesmo áugure da palpitologia.
Nós somos realmente uma boa piada
Maria de Lourdes "Emedelu"
Vivemos em pleno século sob os comandos, ou áuspice ou mesmo áugure da palpitologia.
Nós somos realmente uma boa piada
Beth Muniz Elite
E a cobra vai fumar!
Maria de Lourdes "Emedelu"
Temos que ser muito criteriosos, isso é um direito fundamental, a restrição tem que ser feita de forma restrita, em casos cabíveis, não é para ficar fazendo adivinhação ou palpitologia. Essa legislação que agora o ministro Fux descobriu até que ela é inconstitucional porque não teve a tramitação devida.
Maria de Lourdes "Emedelu"
Beth Muniz Elite
SOU GATO MAS NÃO SOU ANGORÁ!!!!

HAHAHAHAHA

Saiu no Estadão, órgão oficial do Ministro (sic) Gilmar (PSDB-MT), que foi premiado com novo pedido de impeachment, enquanto se prepara para uma nova refrega com o Fux, no Mandalay de Las Vegas:

Gilmar Mendes relativiza natureza do caixa 2

"O Caixa Dois não revela per se ​(sic) ​a corrupção... A simples doação por ​C​aixa ​D​ois não significa a priori ​(sic) ​propina ou corrupção ... ​M​istur​o​u-se tanta coisa​ que até a doaçao legal, aquela registrada na Justiça Eleitoral, tem essa contaminação ​(sic)... Temos um quadro de grande insegurança, precisamos ter esse mosaico mais ou menos organizado para que se possa saber o que estamos falando..."​
Maria de Lourdes "Emedelu"
E a cobra vai fumar!
Beth Muniz Elite
Mendes pedia aos colegas que fossem criteriosos na hora de considerar candidatos ficha-suja, ao discutir um recurso referente a eleições no interior do Ceará, quando fez a provocação a Fux:

— Temos que ser muito criteriosos, isso é um direito fundamental, a restrição tem que ser feita de forma restrita, em casos cabíveis, não é para ficar fazendo adivinhação ou palpitologia. Essa legislação que agora o ministro Fux descobriu até que ela é inconstitucional porque não teve a tramitação devida.

Antes que Gilmar continuasse, Fux pediu a palavra:

— Só queria fazer uma observação sobre esse ponto. Eu não descobri que ela é inconstitucional. Respeito a manifestação do nosso tribunal que declarou que ela é constitucional (...) O STF já declarou a constitucionalidade da lei da Ficha Limpa. Isso é algo que não se pode nem especular sob pena de desrespeito ao STF.
Beth Muniz Elite
A GRAÇA MANDA AVISAR QUE ESTÁ CUIDANDO DOS PREPARATIVOS DA CHEGADA DO NETO. E QUE LOGO ESTARÁ DE VOLTA. ( não arredamos o pé, nossa luta continua) ESTAMOS
HORA
HORA
KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
Maria de Lourdes "Emedelu"
A GRAÇA MANDA AVISAR QUE ESTÁ CUIDANDO DOS PREPARATIVOS DA CHEGADA DO NETO. E QUE LOGO ESTARÁ DE VOLTA. ( não arredamos o pé, nossa luta continua) ESTAMOS
HORA
HORA
KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
Beth Muniz Elite
O Secretário, além de faltar com a verdade, age tal como um vendedor de ilusão, que mente sobre o passado, esconde o presente para que o povo não tenha futuro. A Diretoria da FENASPS repudia todas estas mentiras pregadas diuturnamente por um governo de farsantes! Para restabelecer a verdade é necessário fazer uma auditoria nas contas da Previdência Social, instituir o fundo único das receitas previdenciárias e por fim à sonegação fiscal!
Maria de Lourdes "Emedelu"
Como é sabido, além do discurso de que é preciso ajustar as contas públicas, o governo INTERINO utiliza o fator demográfico para propor as mudanças. Logo o Temer e seus ministros, que se aposentaram precocemente, e vivem até agora mamando nas tetas do dinheiro público!
Maria de Lourdes "Emedelu"
O Secretário, além de faltar com a verdade, age tal como um vendedor de ilusão, que mente sobre o passado, esconde o presente para que o povo não tenha futuro. A Diretoria da FENASPS repudia todas estas mentiras pregadas diuturnamente por um governo de farsantes! Para restabelecer a verdade é necessário fazer uma auditoria nas contas da Previdência Social, instituir o fundo único das receitas previdenciárias e por fim à sonegação fiscal!
Beth Muniz Elite
Segundo Janot, medida provisória, por seu próprio rito abreviado, não é instrumento adequado para reformas estruturais em políticas públicas, “menos ainda em esfera crucial para o desenvolvimento do país, como é a educação”. “Demonstração concreta de faltar urgência para edição precipitada da norma está no fato de que, se aprovada pelo Congresso Nacional ainda em 2016, a reforma só será adotada nas escolas em 2018”, argumenta.

Janot destacou no parecer que a discussão da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) é complexa e vem sendo feita de maneira participativa há anos e “não se pode admitir que projeto dessa magnitude e relevância seja precipitado”. De acordo com procurador, o próprio Ministério da Educação (MEC) demonstra em seu site a complexidade do projeto e a necessidade de participação democrática e amadurecimento.

“Não parece aceitável nem compatível com os princípios constitucionais da finalidade, da eficiência e até da razoabilidade que tal matéria, de forma abrupta, passe a ser objeto de normas contidas em medida provisória, que atropelam do dia para a noite esse esforço técnico e gerencial do próprio MEC, em diálogo com numerosos especialistas e com a comunidade, ao longo de anos”, diz.
Beth Muniz Elite
Segundo Janot, medida provisória, por seu próprio rito abreviado, não é instrumento adequado para reformas estruturais em políticas públicas, “menos ainda em esfera crucial para o desenvolvimento do país, como é a educação”. “Demonstração concreta de faltar urgência para edição precipitada da norma está no fato de que, se aprovada pelo Congresso Nacional ainda em 2016, a reforma só será adotada nas escolas em 2018”, argumenta.

Janot destacou no parecer que a discussão da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) é complexa e vem sendo feita de maneira participativa há anos e “não se pode admitir que projeto dessa magnitude e relevância seja precipitado”. De acordo com procurador, o próprio Ministério da Educação (MEC) demonstra em seu site a complexidade do projeto e a necessidade de participação democrática e amadurecimento.

“Não parece aceitável nem compatível com os princípios constitucionais da finalidade, da eficiência e até da razoabilidade que tal matéria, de forma abrupta, passe a ser objeto de normas contidas em medida provisória, que atropelam do dia para a noite esse esforço técnico e gerencial do próprio MEC, em diálogo com numerosos especialistas e com a comunidade, ao longo de anos”, diz.
Beth Muniz Elite
O sistema da Seguridade Social tem superávit (veja no final da matéria um vídeo curto que apresenta argumentos objetivos que desmascaram o déficit da Previdência Social), pois apresenta somente os gastos com pagamento das aposentadorias e pensões, incluindo apenas os valores arrecadados com a contribuição direta urbana. O governo omite e não informa que há receitas constitucionais não contabilizadas, sem considerar sequer prestação de contas por parte da Receita Federal do Brasil e outras fontes de arrecadação do governo, como Confins, Receita sobre Loterias, CSSL. O governo não diz, por exemplo, que os sonegadores devem mais de R$ 600 bilhões de contribuições previdenciárias, e que a Desvinculação de Receitas da União (DRU) vai retirar 30% das receitas (aproximadamente R$ 230 bilhões anuais) até 2023. Isso porque nem estamos falando aqui das desobrigações da Copa do Mundo, e demais isenções fiscais, entre outros desvios de finalidade dos recursos da Seguridade Social.



Desta forma, a opinião pública é inundada todos os dias com informações inverídicas, construídas em gabinetes luxuosos por mentes malignas, com o único objetivo de sedimentar o caminho para a reforma na Previdência Social, retirando direitos dos trabalhadores, impondo idade mínima de 65 anos, uma crueldade com os homens e mulheres das regiões Norte e Nordeste do país, cuja expectativa de vida fica muito abaixo dos brasileiros que vivem nas regiões mais ricas do Brasil.
Beth Muniz Elite
Mesmo em meio ao sitiamento do Congresso Nacional e a Praça de Guerra - de uma força só -, na Esplanada dos Ministérios em Brasília, aconteceu ontem, 13/12, na Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) do Senado Federal, o “Ciclo de Debates sobre a Previdência com foco na PEC 287/2016.

Apesar de não estar nas emissoras oficiais e golpistas, o material (Vídeo) elaborado pela Associação Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil - ANFIP, já foi visualizado mais de 1,3 milhão de vezes, teve mais de 60 mil compartilhamentos e quase 5 milhões de pessoas alcançadas. Além da ANFIP, outras entidades que integram a Frente Parlamentar Mista em Defesa da Previdência Social assinam a campanha.

Como é sabido, além do discurso de que é preciso ajustar as contas públicas, o governo INTERINO utiliza o fator demográfico para propor as mudanças. Logo o Temer e seus ministros, que se aposentaram precocemente, e vivem até agora mamando nas tetas do dinheiro público!
Beth Muniz Elite
Mesmo em meio ao sitiamento do Congresso Nacional e a Praça de Guerra - de uma força só -, na Esplanada dos Ministérios em Brasília, aconteceu ontem, 13/12, na Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) do Senado Federal, o “Ciclo de Debates sobre a Previdência com foco na PEC 287/2016.

Apesar de não estar nas emissoras oficiais e golpistas, o material (Vídeo) elaborado pela Associação Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil - ANFIP, já foi visualizado mais de 1,3 milhão de vezes, teve mais de 60 mil compartilhamentos e quase 5 milhões de pessoas alcançadas. Além da ANFIP, outras entidades que integram a Frente Parlamentar Mista em Defesa da Previdência Social assinam a campanha.

Como é sabido, além do discurso de que é preciso ajustar as contas públicas, o governo INTERINO utiliza o fator demográfico para propor as mudanças. Logo o Temer e seus ministros, que se aposentaram precocemente, e vivem até agora mamando nas tetas do dinheiro público!
Beth Muniz Elite
O que disseram os suspeitos

O G1 entrou em contato com a assessoria de Renan Calheiros, mas até a última atualização desta reportagem não havia obtido resposta.

Já Aníbal Gomes disse ao G1 que ainda não havia tomado conhecimento da denúncia da PGR, mas negou envolvimento em qualquer irregularidade.

O parlamentar cearense afirmou que acompanhou representantes da Serveng em uma reunião com Paulo Roberto Costa. O encontro, segundo Gomes, teve como objetivo apresentar o projeto de um porto com investimento privado e questionar se a Petrobras tinha interesse em alugar um ponto do empreendimento.

“A Petrobras não se interessou, nada foi feito. E mesmo que tivesse acontecido, não envolvia dinheiro público”, disse.

O G1 não conseguiu localizar os representantes da Serveng Civilsan.
Beth Muniz Elite
O que disseram os suspeitos

O G1 entrou em contato com a assessoria de Renan Calheiros, mas até a última atualização desta reportagem não havia obtido resposta.

Já Aníbal Gomes disse ao G1 que ainda não havia tomado conhecimento da denúncia da PGR, mas negou envolvimento em qualquer irregularidade.

O parlamentar cearense afirmou que acompanhou representantes da Serveng em uma reunião com Paulo Roberto Costa. O encontro, segundo Gomes, teve como objetivo apresentar o projeto de um porto com investimento privado e questionar se a Petrobras tinha interesse em alugar um ponto do empreendimento.

“A Petrobras não se interessou, nada foi feito. E mesmo que tivesse acontecido, não envolvia dinheiro público”, disse.

O G1 não conseguiu localizar os representantes da Serveng Civilsan.
Beth Muniz Elite
Paulo Rabello pretende alterar o estatuto do instituto para captar recursos e oferecer os serviços do órgão também para empresas –

Falastrão, como ele mesmo se define, Paulo Rabello de Castro está há quatro meses à frente do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). E, apesar do pouco tempo como presidente do órgão, o economista e amigo de Michel Temer já tem conquistado destaque na imprensa pelas ideias que alardeia. Mas seus pontos de vista têm criado apreensão entre ex-presidentes e técnicos do IBGE quanto às mudanças que podem estar a caminho.

A principal delas já está em curso: a criação de um marco legal para “uso mais amplo das estatísticas e informações geocientíficas e ambientais”. Na prática, Rabello pretende abrir caminho e alterar o estatuto do IBGE para captar recursos e oferecer os serviços do órgão também para empresas, sejam elas públicas, sejam privadas.

Os planos de Rabello reiteram de que modo os apaniguados nomeados por Temer já têm conduzido órgãos públicos no sentido dos cortes e contingenciamentos, por conta da iminente aprovação de PEC 55, proposta que estabelece o congelamento das despesas primárias, incluindo gastos com saúde e educação.

O objetivo do presidente do IBGE é expandir as fontes de financiamento do órgão, que hoje depende basicamente das verbas do Executivo. Segundo Rabello, com a criação de um marco legal e a mudança no estatuto, o instituto poderá oferecer serviços específicos para outros órgãos da Esplanada e para empresas que também já fazem consultas de dados junto ao IBGE, frequentemente.

“A sociedade está muito sensível ao custo enorme da máquina e dos programas e ações públicos. É reação geral a décadas de avanço do gasto, não importa do quê. Por isso, a boa gestão pública neste momento tem de ser obediente ao comando das ruas: economizem. Revisem seus orçamentos. Busquem eficiência em tudo. É nesse espírito que estamos trabalhando”, diz a Carta Capital o presidente do IBGE.

A forma como Paulo Rabello
Beth Muniz Elite
Décio Adams, IWA Elite
Beth Muniz Elite
Beth Muniz Elite
Kassab recebeu R$ 14 milhões, diz delator.

Executivo da Odebrecht afirma que valor era para campanha; Moreira Franco seria ‘arrecadador do PMDB’

O executivo Paulo Cesena, até mês passado presidente da Odebrecht Transport, afirmou em sua delação premiada que o ministro da Ciência, Tecnologia e Comunicações, Gilberto Kassab (PSD), recebeu R$ 14 milhões da empresa, em 2013 e 2014, via caixa 2. A informação consta de um dos anexos da colaboração de Cesena (...) O secretário do Programa de Parceria de Investimentos, Moreira Franco (PMDB), um dos políticos mais próximos de Michel Temer, também é acusado por Cesena de, em 2014, ter recebido R$ 4 milhões da Transport. A empresa é o braço da Odebrecht para o setor de transportes. O ex-deputado preso Eduardo Cunha (PMDB) também é citado na delação, por ter recebido R$ 4,6 milhões.

(...) Kassab, Moreira e Cunha são citados no começo do anexo, que trata dos pagamentos indevidos a agentes públicos pela empresa. Cesena afirma que, em 2014, foi informado por Benedicto Júnior, presidente da Construtora Noberto Odebrecht, de que a Transport entraria no rateio interno da companhia para custear campanhas políticas. Cesena, na Odebrecht desde 1998, era o presidente da Transport.

“Sobre Gilberto Kassab, Benedicto Junior me informou que fez, em 2013 e 2014, pagamentos no valor de aproximadamente R$ 14 milhões, sob o argumento de que seria para apoiá-lo nas eleições ao Senado em 2014 e nas campanhas do PSD”, afirmou Cesena à Lava-Jato.
Beth Muniz Elite
Kassab recebeu R$ 14 milhões, diz delator

Executivo da Odebrecht afirma que valor era para campanha; Moreira Franco seria ‘arrecadador do PMDB’

O executivo Paulo Cesena, até mês passado presidente da Odebrecht Transport, afirmou em sua delação premiada que o ministro da Ciência, Tecnologia e Comunicações, Gilberto Kassab (PSD), recebeu R$ 14 milhões da empresa, em 2013 e 2014, via caixa 2. A informação consta de um dos anexos da colaboração de Cesena (...) O secretário do Programa de Parceria de Investimentos, Moreira Franco (PMDB), um dos políticos mais próximos de Michel Temer, também é acusado por Cesena de, em 2014, ter recebido R$ 4 milhões da Transport. A empresa é o braço da Odebrecht para o setor de transportes. O ex-deputado preso Eduardo Cunha (PMDB) também é citado na delação, por ter recebido R$ 4,6 milhões.

(...) Kassab, Moreira e Cunha são citados no começo do anexo, que trata dos pagamentos indevidos a agentes públicos pela empresa. Cesena afirma que, em 2014, foi informado por Benedicto Júnior, presidente da Construtora Noberto Odebrecht, de que a Transport entraria no rateio interno da companhia para custear campanhas políticas. Cesena, na Odebrecht desde 1998, era o presidente da Transport.

“Sobre Gilberto Kassab, Benedicto Junior me informou que fez, em 2013 e 2014, pagamentos no valor de aproximadamente R$ 14 milhões, sob o argumento de que seria para apoiá-lo nas eleições ao Senado em 2014 e nas campanhas do PSD”, afirmou Cesena à Lava-Jato.
Beth Muniz Elite
Kassab recebeu R$ 14 milhões, diz delator

Executivo da Odebrecht afirma que valor era para campanha; Moreira Franco seria ‘arrecadador do PMDB’

O executivo Paulo Cesena, até mês passado presidente da Odebrecht Transport, afirmou em sua delação premiada que o ministro da Ciência, Tecnologia e Comunicações, Gilberto Kassab (PSD), recebeu R$ 14 milhões da empresa, em 2013 e 2014, via caixa 2. A informação consta de um dos anexos da colaboração de Cesena (...) O secretário do Programa de Parceria de Investimentos, Moreira Franco (PMDB), um dos políticos mais próximos de Michel Temer, também é acusado por Cesena de, em 2014, ter recebido R$ 4 milhões da Transport. A empresa é o braço da Odebrecht para o setor de transportes. O ex-deputado preso Eduardo Cunha (PMDB) também é citado na delação, por ter recebido R$ 4,6 milhões.

(...) Kassab, Moreira e Cunha são citados no começo do anexo, que trata dos pagamentos indevidos a agentes públicos pela empresa. Cesena afirma que, em 2014, foi informado por Benedicto Júnior, presidente da Construtora Noberto Odebrecht, de que a Transport entraria no rateio interno da companhia para custear campanhas políticas. Cesena, na Odebrecht desde 1998, era o presidente da Transport.

“Sobre Gilberto Kassab, Benedicto Junior me informou que fez, em 2013 e 2014, pagamentos no valor de aproximadamente R$ 14 milhões, sob o argumento de que seria para apoiá-lo nas eleições ao Senado em 2014 e nas campanhas do PSD”, afirmou Cesena à Lava-Jato.
Beth Muniz Elite
Isso!

Bom dia!
Esse é o mal de grande parte dos nossos concidadãos. São avessos à leitura. No máximo admditem ler uma revistinha ou umas piadas no jornal.
Beth Muniz Elite
PHA: Você podia dar uma ideia do impacto das regras de transição ? Lembrando que a proposta apresentada institui como regra de transição o pedágio de 50% sobre o tempo de contribuição para quem está perto de se aposentar, – homens acima de 50 anos e mulheres acima de 45 –, o que põe fim à fórmula 85/95.

CG: Nós trabalhávamos, primeiro, com uma compreensão de que nós estamos lidando com gente pobre. Segundo, que é uma política social que distribui renda, que trabalha com o bem-estar da sociedade. Então, qualquer mudança de regra é sensível para as pessoas. A transição de uma regra para outra deve ser suave. Vamos pegar uma trabalhadora de 44 anos que já tinha 29 de contribuição - faltava um para ela se aposentar: ela vai se aposentar agora só aos 65 anos de idade! É uma virada de mesa muito grande para cima de inúmeros trabalhadores.
Beth Muniz Elite
PHA: Você podia dar uma ideia do impacto das regras de transição ? Lembrando que a proposta apresentada institui como regra de transição o pedágio de 50% sobre o tempo de contribuição para quem está perto de se aposentar, – homens acima de 50 anos e mulheres acima de 45 –, o que põe fim à fórmula 85/95.

CG: Nós trabalhávamos, primeiro, com uma compreensão de que nós estamos lidando com gente pobre. Segundo, que é uma política social que distribui renda, que trabalha com o bem-estar da sociedade. Então, qualquer mudança de regra é sensível para as pessoas. A transição de uma regra para outra deve ser suave. Vamos pegar uma trabalhadora de 44 anos que já tinha 29 de contribuição - faltava um para ela se aposentar: ela vai se aposentar agora só aos 65 anos de idade! É uma virada de mesa muito grande para cima de inúmeros trabalhadores.
Beth Muniz Elite
É uma área equivalente a doze parques do Ibirapuera.

Fica em Palmares do Sul, no Rio Grande do Sul, numa região de dunas, de frente para o mar, cobiçada por empresas que querem construir um parque eólico.

A notícia está no Estadão, que parece ter perdido o rumo (veja notícia sobre o impeachment do Temer).

O ministro (sic) argumenta que tem usucapião da área.

Os litigantes o acusam, simplesmente, de grileiro.

É uma acusação provavelmente injusta, porque se trata de homem público (sic) de reputação ilibada, como acentuava o inesquecível ACM, que o chamava de Eliseu "Quadrilha".

Depois de rasgar a Constituição, tudo é possível!

PHA
Décio Adams, IWA Elite
Esse é o mal de grande parte dos nossos concidadãos. São avessos à leitura. No máximo admditem ler uma revistinha ou umas piadas no jornal.
Beth Muniz Elite
É verdade!

Mas, os Coxas burros além de não lerem, não gostam de visitar o livro da história.

Só ruminam e esbravejam.

Basta ler alguns livros de história, desde os tempos mais remotos e se encontra a presença da corrupção nos meios político/administrativos. É coisa tão velha quanto a humanidade.
Décio Adams, IWA Elite
Basta ler alguns livros de história, desde os tempos mais remotos e se encontra a presença da corrupção nos meios político/administrativos. É coisa tão velha quanto a humanidade.
Amigo navegante de memória desagradável sugeriu ao ansioso blogueiro voltar às páginas do imperdivel "Minha razão de viver - memórias de um repórter", do Samuel Wainer, da editora Record, quando a Record do Alfredo Machado ainda editava livros de Esquerda (porque, agora, ela se especializou em livros de Direita... Quá, quá, quá! Breve lançará edição comemorativa do "Protocolos dos Sábios de Sião", com ilustrações do...)

O amigo navegante chama a atenção para as páginas 224 e seguintes, e 237, em que Samuel descreve o papel das empreiteiras na política e na imprensa brasileiras, especialmente a partir do Governo JK.

Como se sabe, um dos ministros da Fazenda do JK foi chamado de Tião Medonho, em homenagem ao assaltante do Trem Pagador - e ele próprio um grande empreiteiro!

Samuel conta que as empreiteiras substituíram os Barões do Café como os grandes anunciantes da imprensa pátria.

Assis Chateaubriand - precursor da Globo em muitos sentidos - e Paulo Bittencourt, do Correio da Manhã, aquele que mergulhou de cabeça no Golpe de 64 e se "arrependeu" - eram os principais beneficiados da "publicidade" dos empreiteiros.

O Chatô chegava ao extremo de chantagear ministros, para que entregassem determinadas obras a seus empreiteiros - se não, pau neles, nos jornais do Chatô.

Chatô procurava os ministros, pessoalmente!
E ficava com 10% do orçamento da obra.

Samuel confessa que recebia dinheiro de empreiteiras, também.
Mas, jura que aplicava tudo na Última Hora.
E denuncia os concorrentes: eles embolsavam a grana e não investiam no jornal!

As verba eram "imensas", diz ele!

"Não se trata de uma exclusividade nacional - desde o Império Romano os responsáveis pelas obras públicas mantém relações especiais com os donos do poder", diz Samuel.
Beth Muniz Elite
Amigo navegante de memória desagradável sugeriu ao ansioso blogueiro voltar às páginas do imperdivel "Minha razão de viver - memórias de um repórter", do Samuel Wainer, da editora Record, quando a Record do Alfredo Machado ainda editava livros de Esquerda (porque, agora, ela se especializou em livros de Direita... Quá, quá, quá! Breve lançará edição comemorativa do "Protocolos dos Sábios de Sião", com ilustrações do...)

O amigo navegante chama a atenção para as páginas 224 e seguintes, e 237, em que Samuel descreve o papel das empreiteiras na política e na imprensa brasileiras, especialmente a partir do Governo JK.

Como se sabe, um dos ministros da Fazenda do JK foi chamado de Tião Medonho, em homenagem ao assaltante do Trem Pagador - e ele próprio um grande empreiteiro!

Samuel conta que as empreiteiras substituíram os Barões do Café como os grandes anunciantes da imprensa pátria.

Assis Chateaubriand - precursor da Globo em muitos sentidos - e Paulo Bittencourt, do Correio da Manhã, aquele que mergulhou de cabeça no Golpe de 64 e se "arrependeu" - eram os principais beneficiados da "publicidade" dos empreiteiros.

O Chatô chegava ao extremo de chantagear ministros, para que entregassem determinadas obras a seus empreiteiros - se não, pau neles, nos jornais do Chatô.

Chatô procurava os ministros, pessoalmente!
E ficava com 10% do orçamento da obra.

Samuel confessa que recebia dinheiro de empreiteiras, também.
Mas, jura que aplicava tudo na Última Hora.
E denuncia os concorrentes: eles embolsavam a grana e não investiam no jornal!

As verba eram "imensas", diz ele!

"Não se trata de uma exclusividade nacional - desde o Império Romano os responsáveis pelas obras públicas mantém relações especiais com os donos do poder", diz Samuel.
Beth Muniz Elite
Amigo navegante de memória desagradável sugeriu ao ansioso blogueiro voltar às páginas do imperdivel "Minha razão de viver - memórias de um repórter", do Samuel Wainer, da editora Record, quando a Record do Alfredo Machado ainda editava livros de Esquerda (porque, agora, ela se especializou em livros de Direita... Quá, quá, quá! Breve lançará edição comemorativa do "Protocolos dos Sábios de Sião", com ilustrações do...)

O amigo navegante chama a atenção para as páginas 224 e seguintes, e 237, em que Samuel descreve o papel das empreiteiras na política e na imprensa brasileiras, especialmente a partir do Governo JK.

Como se sabe, um dos ministros da Fazenda do JK foi chamado de Tião Medonho, em homenagem ao assaltante do Trem Pagador - e ele próprio um grande empreiteiro!

Samuel conta que as empreiteiras substituíram os Barões do Café como os grandes anunciantes da imprensa pátria.

Assis Chateaubriand - precursor da Globo em muitos sentidos - e Paulo Bittencourt, do Correio da Manhã, aquele que mergulhou de cabeça no Golpe de 64 e se "arrependeu" - eram os principais beneficiados da "publicidade" dos empreiteiros.

O Chatô chegava ao extremo de chantagear ministros, para que entregassem determinadas obras a seus empreiteiros - se não, pau neles, nos jornais do Chatô.

Chatô procurava os ministros, pessoalmente!
E ficava com 10% do orçamento da obra.

Samuel confessa que recebia dinheiro de empreiteiras, também.
Mas, jura que aplicava tudo na Última Hora.
E denuncia os concorrentes: eles embolsavam a grana e não investiam no jornal!

As verba eram "imensas", diz ele!

"Não se trata de uma exclusividade nacional - desde o Império Romano os responsáveis pelas obras públicas mantém relações especiais com os donos do poder", diz Samuel.
Beth Muniz Elite
o Tucano Moro rasga a fantasia

A transparência tucana é turva como a água de Furnas!

O Juiz Fura-Teto perdeu o último traço de pudor que tivesse deixado em Maringá.

Foi a um evento em São Paulo da revista "QuantoÉ" - isso mesmo, conhecida no sub-mundo do PiG e das agências de publicidade como revista "QuantoÉ" - para premiar os "melhores" do ano.

"Melhores" em que atividade, cara pálida?

Só tinha tucano.

Abilio Diniz (que tentou invadir o BNDES - com a "a$$e$$oria" do Palocci - para comprar o Pão de Açúcar de volta...), Meirelles, que está prestigiadíssimo, Alckmin, que opera com a alcunha de "o santo", o Traíra, uma cadeira vazia (devia esperar pelo FHC Brasif) e, ao fundo, a foto do ano!

Moro, o Imparcial de Curitiba, morre de rir com o mega-delatado, o mega-não-vem-ao-caso!, o Aecím!

Quá quá, quá!
Vamos ferrar o Lula!
Só pode ser esse o motivo da incontida alegria tucana!...
Beth Muniz Elite
Brasília, 6 de dezembro de 2016.

Sr. Prof. Dr. Markus Pohlmann
Instituto de Sociologia Max Weber
Universidade de Heidelberg,

permita-nos uma breve apresentação. Somos professores de História, Ciência Política e Direito de distintas Universidades brasileiras, públicas e privadas, com atuação nas áreas de Teoria do Direito, Hermenêutica Constitucional, Direito Constitucional, Direito Econômico. Direito Penal e Processual Penal. Temos muitos anos de atividade científica e acompanhamos com atenção os acontecimentos em nosso País, especialmente durante e depois do golpe sofrido por nossa jovem democracia de abril a agosto de 2016. Com o mesmo interesse científico, e como cidadãos que viveram ainda o final da ditadura militar brasileira de 1964-85, seguimos de perto a assim chamada “Operação Lava Jato”, bem como o papel desempenhado pelo Poder Judiciário e Ministério Público brasileiros. Desta maneira, seguimos com proximidade a atuação do Juiz Federal Sérgio Fernando Moro e dos membros do Ministério Público Federal que o acompanha nos processos penais relativos à mencionada “Operação Lava Jato”.

Com nosso profundo respeito.

Alexandre Melo Franco de Moraes Bahia - UFOP - Bundesuniversität Ouro Preto/Minas Gerais
André Karam Trindade - FG - Fakultät Guanambi/Bahia
Antônio Gomes Moreira Maués - UFPA - Bundesuniversität Pará
Beatriz Vargas Ramos Rezende - Universität Brasília – UnB
Carol Proner - UFRJ - Bundesuniversität Rio de Janeiro
Cynara Monteiro Mariano - UFC - Bundesuniversität Ceará
Emílio Peluso Neder Meyer - UFMG - Bundesuniversität Minas Gerais
Enzo Bello - UFF - Bundesuniversität Fluminense/Rio de Janeiro
Eugênio Guilherme Aragão - UnB - Universität Brasília
Fábio Kerche - FCRB - Haus-Rui-Barbosa-Stifitung/Rio de Janeiro
Felipe Braga Albuquerque - UFC - Bundesuniversität Ceará
Gilberto Bercovici - USP - Universität São Paulo
Gisele Citadino - PUC/Rio - Pontifikale Katholische Universität Rio de Janeiro
Gustavo César Cabral - UFC - Bundesuniversität Ceará
Beth Muniz Elite
Brasília, 6 de dezembro de 2016.

Sr. Prof. Dr. Markus Pohlmann
Instituto de Sociologia Max Weber
Universidade de Heidelberg,

permita-nos uma breve apresentação. Somos professores de História, Ciência Política e Direito de distintas Universidades brasileiras, públicas e privadas, com atuação nas áreas de Teoria do Direito, Hermenêutica Constitucional, Direito Constitucional, Direito Econômico. Direito Penal e Processual Penal. Temos muitos anos de atividade científica e acompanhamos com atenção os acontecimentos em nosso País, especialmente durante e depois do golpe sofrido por nossa jovem democracia de abril a agosto de 2016. Com o mesmo interesse científico, e como cidadãos que viveram ainda o final da ditadura militar brasileira de 1964-85, seguimos de perto a assim chamada “Operação Lava Jato”, bem como o papel desempenhado pelo Poder Judiciário e Ministério Público brasileiros. Desta maneira, seguimos com proximidade a atuação do Juiz Federal Sérgio Fernando Moro e dos membros do Ministério Público Federal que o acompanha nos processos penais relativos à mencionada “Operação Lava Jato”.

Com nosso profundo respeito.

Alexandre Melo Franco de Moraes Bahia - UFOP - Bundesuniversität Ouro Preto/Minas Gerais
André Karam Trindade - FG - Fakultät Guanambi/Bahia
Antônio Gomes Moreira Maués - UFPA - Bundesuniversität Pará
Beatriz Vargas Ramos Rezende - Universität Brasília – UnB
Carol Proner - UFRJ - Bundesuniversität Rio de Janeiro
Cynara Monteiro Mariano - UFC - Bundesuniversität Ceará
Emílio Peluso Neder Meyer - UFMG - Bundesuniversität Minas Gerais
Enzo Bello - UFF - Bundesuniversität Fluminense/Rio de Janeiro
Eugênio Guilherme Aragão - UnB - Universität Brasília
Fábio Kerche - FCRB - Haus-Rui-Barbosa-Stifitung/Rio de Janeiro
Felipe Braga Albuquerque - UFC - Bundesuniversität Ceará
Gilberto Bercovici - USP - Universität São Paulo
Gisele Citadino - PUC/Rio - Pontifikale Katholische Universität Rio de Janeiro
Gustavo César Cabral - UFC - Bundesuniversität Ceará
Gust
Beth Muniz Elite
Oi Maria,

Boa Tarde!

Primeiramente... Nem preciso dizer...

Segundamente, te agradeço pelas Travessias que tens feito. Ou seja: obrigada pelos sempre excelentes comentários.

Terceiramente, visite o Agregador Mamute e veja se gosta. É mais uma opção para divulgar os seus blogues. Tenho tido muitos retornos no Travessia.

Não precisa enviar o link. Se você se cadastrar, automaticamente o seu link será publicado.

Me dê um retorno.

Grande abraço.

http://mamute-extreme.blogspot.com.br/

Décio Adams, IWA Elite
Beth Muniz Elite
Virou um cada um por si e Deus por todos. Um verdadeiro "salve-se quem puder". Pior é para nós, comuns mortais, sem defesa nem contra uns, tampouco contra os outros. Estamos todos "fritos em pouca banha".
Beth Muniz Elite
Valeu Décio!
Bom dia.
Tudo de bom.
Décio Adams, IWA Elite
Virou um cada um por si e Deus por todos. Um verdadeiro "salve-se quem puder". Pior é para nós, comuns mortais, sem defesa nem contra uns, tampouco contra os outros. Estamos todos "fritos em pouca banha".
O Brasil está exposto ao mundo como a maior república bananeira que já se viu na face da Terra. Em um ano, uma presidente da República foi afastada sem que tenha cometido crime de responsabilidade e dois de seus algozes, na Câmara e no Senado, foram afastados. Um deles, Eduardo Cunha, está preso em Curitiba. O outro, Renan Calheiros, caiu por uma decisão liminar de um ministro da suprema corte.

Se, até recentemente, o Brasil era uma nação admirada e respeitada, por retirar milhões de pessoas da miséria e exercer uma liderança saudável entre as nações emergentes, o País é hoje, na melhor das definições, uma casa da Mãe Joana. Uma terra sem lei.

O caso Renan é o exemplo mais recente da barbárie brasileira. Um presidente do Congresso pode ser afastado por uma decisão liminar de um ministro do Supremo, sem direito de defesa? Num mundo regido pela lei e pela lógica da separação de poderes, evidentemente não. No entanto, ninguém que tenha apoiado o golpe contra a presidente Dilma Rousseff, afastada sem crime de responsabilidade, tem o direito de reclamar de nada.
Beth Muniz Elite
O Brasil está exposto ao mundo como a maior república bananeira que já se viu na face da Terra. Em um ano, uma presidente da República foi afastada sem que tenha cometido crime de responsabilidade e dois de seus algozes, na Câmara e no Senado, foram afastados. Um deles, Eduardo Cunha, está preso em Curitiba. O outro, Renan Calheiros, caiu por uma decisão liminar de um ministro da suprema corte.

Se, até recentemente, o Brasil era uma nação admirada e respeitada, por retirar milhões de pessoas da miséria e exercer uma liderança saudável entre as nações emergentes, o País é hoje, na melhor das definições, uma casa da Mãe Joana. Uma terra sem lei.

O caso Renan é o exemplo mais recente da barbárie brasileira. Um presidente do Congresso pode ser afastado por uma decisão liminar de um ministro do Supremo, sem direito de defesa? Num mundo regido pela lei e pela lógica da separação de poderes, evidentemente não. No entanto, ninguém que tenha apoiado o golpe contra a presidente Dilma Rousseff, afastada sem crime de responsabilidade, tem o direito de reclamar de nada.
Beth Muniz Elite
O Brasil está exposto ao mundo como a maior república bananeira que já se viu na face da Terra. Em um ano, uma presidente da República foi afastada sem que tenha cometido crime de responsabilidade e dois de seus algozes, na Câmara e no Senado, foram afastados. Um deles, Eduardo Cunha, está preso em Curitiba. O outro, Renan Calheiros, caiu por uma decisão liminar de um ministro da suprema corte.

Se, até recentemente, o Brasil era uma nação admirada e respeitada, por retirar milhões de pessoas da miséria e exercer uma liderança saudável entre as nações emergentes, o País é hoje, na melhor das definições, uma casa da Mãe Joana. Uma terra sem lei.

O caso Renan é o exemplo mais recente da barbárie brasileira. Um presidente do Congresso pode ser afastado por uma decisão liminar de um ministro do Supremo, sem direito de defesa? Num mundo regido pela lei e pela lógica da separação de poderes, evidentemente não. No entanto, ninguém que tenha apoiado o golpe contra a presidente Dilma Rousseff, afastada sem crime de responsabilidade, tem o direito de reclamar de nada.
Beth Muniz Elite
O descontentamento do PSDB e de setores do empresariado com a política econômica – evidenciado por dura nota da FIESP contra o aumento de juros -, os embates no Judiciário entre a direita (Gilmar Mendes) e o ícone da extrema-direita (Sérgio Moro), os enfrentamentos entre Legislativo e Judiciário, o motim dos procuradores da Lava-jato contra o Congresso, a mudança de alvo das passeatas conservadoras, a queda de Renan Calheiros e asensação de que o governo é incapaz de levar adiante medidas impopulares, entre outras marcas, completam a cena.
Décio Adams, IWA Elite
Beth Muniz Elite
Foi o que os coxinhas pediram. Falta o Temer

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco Aurélio Mello concedeu liminar (decisão provisória) nesta segunda-feira (5) para afastar Renan Calheiros (PMDB-AL) da presidência do Senado.

O ministro atendeu a pedido do partido Rede Sustentabilidade e entendeu que, como Renan Calheiros virou réu no Supremo, não pode continuar no cargo em razão de estar na linha sucessória da Presidência da República.
(...)
Beth Muniz Elite
Foi o que os coxinhas pediram. Falta o Temer

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco Aurélio Mello concedeu liminar (decisão provisória) nesta segunda-feira (5) para afastar Renan Calheiros (PMDB-AL) da presidência do Senado.

O ministro atendeu a pedido do partido Rede Sustentabilidade e entendeu que, como Renan Calheiros virou réu no Supremo, não pode continuar no cargo em razão de estar na linha sucessória da Presidência da República.
(...)
Beth Muniz Elite
Esses bundões usam o parlamento para fazer turismos às custas do erário público. É o fim da picada.
Décio Adams, IWA Elite
Esses bundões usam o parlamento para fazer turismos às custas do erário público. É o fim da picada.
Para compartilhar esse conteúdo, por favor utilize o link http://www1.folha.uol.com.br/poder/2016/12/1838248-deputados-federais-viajam-ao-exterior-a-cada-dois-dias-aponta-levantamento.shtml?cmpid=newsfolha ou as ferramentas oferecidas na página. Textos, fotos, artes e vídeos da Folha estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização da Folhapress (pesquisa@folhapress.com.br). As regras têm como objetivo proteger o investimento que a Folha faz na qualidade de seu jornalismo. Se precisa copiar trecho de texto da Folha para uso privado, por favor logue-se como assinante ou cadastrado.
Beth Muniz Elite
Para compartilhar esse conteúdo, por favor utilize o link http://www1.folha.uol.com.br/poder/2016/12/1838248-deputados-federais-viajam-ao-exterior-a-cada-dois-dias-aponta-levantamento.shtml?cmpid=newsfolha ou as ferramentas oferecidas na página. Textos, fotos, artes e vídeos da Folha estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização da Folhapress (pesquisa@folhapress.com.br). As regras têm como objetivo proteger o investimento que a Folha faz na qualidade de seu jornalismo. Se precisa copiar trecho de texto da Folha para uso privado, por favor logue-se como assinante ou cadastrado.
Beth Muniz Elite
Para compartilhar esse conteúdo, por favor utilize o link http://www1.folha.uol.com.br/poder/2016/12/1838248-deputados-federais-viajam-ao-exterior-a-cada-dois-dias-aponta-levantamento.shtml?cmpid=newsfolha ou as ferramentas oferecidas na página. Textos, fotos, artes e vídeos da Folha estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização da Folhapress (pesquisa@folhapress.com.br). As regras têm como objetivo proteger o investimento que a Folha faz na qualidade de seu jornalismo. Se precisa copiar trecho de texto da Folha para uso privado, por favor logue-se como assinante ou cadastrado.
Décio Adams, IWA Elite
Já começam as perseguições? Ela se expõe a isso. Vaiar a presidente da república pode, mas uma deputada não? O que ela tem de especial?
Aplicativos instalados